Como Evangelizar e Manter Viva a missão de Jesus em tempo de Isolamento social

Talvez, nunca tenhamos vivido um momento tão delicado na vida humana e principalmente na vida da nossa Igreja e da nossa fé, como o que estamos vivendo hoje.

Num primeiro momento assolou o mundo com as terríveis notícias que eram circuladas à respeito do novo Coronavírus batizado como Covid19. Preocupação, medo, susto, foram as primeiras reações das pessoas face a tudo que circulava. Talvez, muitos questionaram a Deus perguntando à Ele por que de tudo isto — ou talvez “Onde está Deus neste momento tão difícil da humanidade”.

Esta matéria não pretende e não tem a intenção de entrar nos meandros políticos e médicos sobre o assunto, muito menos entrar na questão se foi ou não uma doença produzida em laboratório. Tem o objetivo de mostrar que assim que tomamos consciência da nossa imensa fragilidade sobre tudo isto, não tínhamos nenhuma outra alternativa a não ser recorrer a Deus em sua infinita bondade e misericórdia, como também, dar continuidade a vida da Igreja e a evangelização.

Se ficássemos em casa, parados, perplexos, vendo e ouvindo somente péssimas notícias, teríamos com certeza doenças e mortes maiores do que o próprio vírus vem causando.

A maioria das igrejas não faziam transmissões das Santas Missas. A nossa
Paróquia, em especial, Nossa Senhora de Lourdes de Alphaville, de vez em quando utilizando-se de celulares pessoais, através da equipe da Pascom (Pastoral da Comunicação) para fazer pequenas transmissões, de pequenos trechos da Santa Missa e somente em algumas solenidades e celebrações. Nada comparado a ter que transmitir as Santas Missas através das redes sociais, como Instagram, Facebook e Youtube.

Algumas destas redes, exigia o mínimo de 1.000 assinantes para poder fazer a transmissão e este foi um dos primeiros desafios enfrentados. Nossa paróquia praticamente conseguiu este número em 1 dia, tanto era a sede e a necessidade de ver e ouvir a Palavra de Deus e participar mesmo virtualmente da Santa Missa.

Muitos foram e estão sendo os desafios até hoje, mas se o inimigo tentou nos destruir, Deus mostrou-se mais uma vez Maior que tudo. Não nos esqueceremos da primeira
transmissão que preparamos para realizar: Estava tudo pronto para a transmissão; tudo testado e funcionando. Até a hora do início da Santa Missa! Então o sinal simplesmente sumiu e a transmissão não foi realizada. Quanta tristeza, quantas lágrimas a equipe derramou. Mas a Pascom não desistiu. Tentou inclusive transmitir a missa de outros lugares. Saiu da Gruta e foi à Capela São José. Lá também aconteceu a mesma coisa. Estando tudo certo até a hora da transmissão, na hora da Missa o sinal ficava fraco ou sumia e a transmissão não era possível igualmente.

Depois de uma contratação de internet dedicada e em fibra ótica, conseguimos superar
o primeiro obstáculo da transmissão. E desde então, pelas 3(três) mídias sociais, a missa está sendo transmitida. Graças a este esforço a Pascom tem conseguido até hoje transmitir a Santa Missa e pudemos espiritualmente nos fortalecer para vencermos as batalhas e as dificuldades que a cada dia o mundo nos tem imposto.


Soubemos também, que várias Pastorais, Movimentos ou Associações de nossa Paróquia, se mobilizaram para poder dar continuidade ao trabalho missionário, ao trabalho de formação espiritual. Estávamos isolados fisicamente, mas pudemos nos unir e nos fortalecer através dos meios de comunicação.

A Pastoral da Caridade por exemplo, tem muitas frentes de trabalho que são denominados de GT (Grupos de Trabalho) entre eles o da missão de rua, denominados Filhos da Misericórdia, que leva o alimento e agasalhos aos irmãos de rua; outro GT, cuida do bazar, que cuida, separa, organiza tudo o que é arrecadado entre roupas, brinquedos, objetos em geral. Há também o atendimento com alimentos e roupas para todas as entidades atendidas pela nossa Pastoral entre elas: Toca de Assis; Neftai; Goas; Ternura de Deus; Alar; Santa Terezinha; Divina Providência; Aresama; Capela do Alto; Jerusalém; Ide e Vida; Missão Perpétuo Socorro; Éfata; Reciclagem, além de mais 8 grupos de Vicentinos.

Em 2019 a média de alimentos distribuídos foi em torno de 3.430kgs por mês. Surgem sempre muitas questões:  Como receber e continuar com esta média em 2020? Aí entrou em ação o GT oração da Pastoral da Caridade, que todo dia em pelo menos 4 momentos no dia se reúne através do grupo no WhatsApp fazer suas orações. Manhã, hora do Almoço, Hora da Misericórdia (15horas) e Final da Tarde as 18 horas com o objetivo de fortalecer e sustentar todo o trabalho da Pastoral. Em fevereiro o arrecadado em alimentos havia caído para 2.950kg. Março aumentou um pouco. Em Abril, chegou a 6646 kgs, em Maio a 6685 Kgs e em Junho em 5.074 kgs, segundo informações que nos foram passadas pela própria pastoral. Impossível? Inacreditável? Não!! Possível, verdadeiro e real. Quem podia, trazia o alimento e deixava na Igreja. Se não podia, a equipe se mobilizava e retirava o alimento nas casas (sempre obedecendo todas as regras de saúde que foram definidas pelo Município ou Estado).

Quantos membros fizeram campanhas em seus condomínios de casa e de apartamentos e quantas doações recebidas com a generosidade, num momento de dificuldades financeiras, de recessão e até de guarda de alimentos pois não tínhamos a certeza do futuro. Mas Deus fez valer o que nos ensinou na oração deixada por Jesus Cristo: O PÃO NOSSO DE CADA DIA. E o resultado é este: Muito acima das expectativas.

A missão de rua, também precisou se adaptar. Como a grande maioria dos seus membros, são da área de Risco, foi necessário por momento suspender as atividades, até que Deus abriu as portas juntamente com dois outros grupos de doação da Diocese e todo Sábado e Domingo, centenas de marmitex foram distribuídas nas regiões de Osasco, Carapicuiba, Barueri, Jandira e Itapevi e os irmãos ( cada dia em maior número nas ruas), foram alimentados com a graça de Deus. As entidades, todas elas, foram atendidas. As roupas que recebemos, continuaram o processo de separação e quantas doações foram feitas para entidades e pessoas necessitadas, ou seja, a obra não parou, mesmo tendo menos operários, porque o Espírito Santo de Deus agia a todo o momento. No site da Pastoral da Caridade é possível acompanhar com transparência todo este trabalho.

Todas as pastorais, passaram a recorrer dos meios de comunicação eletrônico, como Zoom, Meet e tantas outras plataformas para fazerem reuniões e terços virtuais.

Os círculos do ECC, continuaram com suas reuniões através dos aplicativos e todo mês inúmeros grupos se reúnem, registram este momento e enviam para a coordenação e de alguma forma superaram a dificuldade da proximidade física, com a proximidade do coração. Há um círculo em especial que toda semana realiza um terço com seus integrantes, independente, do número de casais participantes. Criou então uma forma nova de evangelizar seus membros.

Tem um grupo, que não é nem Pastoral, nem Movimento, nem Associação da Nossa Paróquia, mas é formado por membros integrantes da Paróquia que já se reuniam nas casas de seus membros para rezar o Santo Terço. Isto semanalmente. Este grupo denominado Terços nas Casas, continua semanalmente toda sexta-feira reunindo-se de forma virtual com os seus integrantes. O Grupo de Oração Nossa Senhora de Lourdes, também passou a evangelizar pelo Instagram. Toda segunda feira, as 19 horas, O Santo Terço era rezado e cantado e as 20 horas, tínhamos o Louvor, a Palavra e quantas bênçãos o Senhor derramou nesse período.

O Terços dos Homens, também passou a se utilizar de ferramentas de transmissão on-line para realizar o Santo Terço. Toda sexta-feira também seus membros se reúnem e a cada sexta o número de integrantes aumenta. Um trabalho feito com muito amor, com textos preparados com antecipação. Pessoas da pastoral, cada um rezando um mistério e a oportunidade de cada um poder se rever. Não temos infelizmente informações mais detalhadas de todas as atividades que foram realizadas.

Sabemos que a Catequese, também se reuniu, através de Aplicativos e manteve ativa todas as turmas de catequese e o trabalho teve sua continuidade. Na verdade não parou. Inicialmente instituiu um momento de oração com os pais e as crianças e duas orações foram principais: o Regina Caeli ( Rainha do céu) e o Angelus. Um mês após o início da pandemia, os encontros foram retomados de forma virtual, no mesmo período em que as crianças estavam se adaptando ao novo ritmo de estudo das escolas. Os encontros ocorrem de duas formas, dependendo da familiaridade da catequista com as tecnologias, ou seja, Por Zoom ou outra plataforma similar e por WhatsApp. Os encontros seguiram o mesmo ritmo no virtual que eram no presencial. Foram 40 minutos de encontro utilizando o livro adotado para a catequese infantil. Os encontros ocorrem nos mesmos dias e horários que eram na catequese presencial.

A catequese de Crisma para crianças e adultos seguiu também o mesmo formato. Segundo a coordenação da catequese a mesma seguiu vida normal. Nada impediu que nossas crianças tivesse seu processo de evangelização e catequização.

Os ministros semanalmente realizaram adoração, também, cumprindo todas as regras que foram instituídas pelos organismos de saúde entre outros. O grupo de mães que oram pelos filhos, também se reuniu através de aplicativo e manteve este importante e novo trabalho aqui em nossa paróquia. A oração de uma mãe tem grande valor e toca imediatamente o coração de Deus, emanando chuva de graças e bênçãos.

Quantas Lives, surgiram neste período e foram anunciadas por nossa Diocese, por nossa Igreja e quantos momentos maravilhosos de Louvor, de Adoração, de Palavra pudemos participar ao vivo. Ao passo que tudo isto ocorria e de alguma forma dávamos vida “normal” às atividades, a obra de nossa Igreja matriz seguia seu ritmo e com a graça de Deus está pronta para ser inaugurada.

Aos poucos as missas presenciais estão sendo retomadas. Continuamos seguindo fielmente todas as regras de saúde, higiene, distanciamento, medição de temperatura, para que só avancemos rumo a casa cheia de Deus e vida normal novamente. Deus é maior. Nos deu capacidade e inteligência para nos momentos e situações como estas, encontrar meios possíveis e seguros para não parar a obra de evangelização.

Nos faz muita falta a vida normal em comunidade. Afinal de contas a nossa Igreja Católica, só tem sentido se vivermos a nossa fé em Comunidade, como irmãos, partilhando tudo em comum, assim como a primeira comunidade cristã. Temos fé absoluta que brevemente tudo retornará à normalidade. Talvez, com o aprendizado dos cuidados básicos de higiene, mas sem nunca perder o calor humano de um grande abraço que faz com que sintamos o coração do irmão pulsando com o nosso.

O apóstolo João, sentiu o coração do Senhor, pulsando em seu ouvido na Santa Ceia, ao
recostar-se sobre Jesus. E ele foi o único apóstolo presente junto a Cruz. Nós que sentimos no irmão o coração de Jesus batendo em nós, sabemos o quanto faz falta nossa unidade. Mas nada nos impedirá de continuarmos firmes e fortes na luta contra todos os inimigos que nos sobrevierem. A força do Espírito Santo, o Amor de Deus e a intercessão de Nossa Senhora, derrotam qualquer mal.

Que possamos aumentar ainda mais a nossa fé.

Jair Ortega, PASCOM NSL


Compartilhe: