DIA DO(A) CATEQUISTA

O mês de agosto é dedicado às vocações. E a Igreja precisa muito dos vocacionados de todo a ordem. Existe uma vocação que é de fundamental importância para a iniciação da formação cristã, que é a vocação de Catequista que comemoramos no 4o. domingo do mês. Tem um texto que lí no site www.despertarfranciscano.com que julguei muito interessante e abaixo reproduzo:-

“O catequista não é um Professor e nem deve pretender sê-lo. É antes de mais nada alguém que está inserido na Comunidade Eclesial, que gosta do que faz, e por acreditar na Igreja e professar sua fé no Deus Uno e Trino, quer colaborar para o crescimento qualitativo e quantitativo desta mesma Igreja. O Catequista não é só aquele que ensina, mas que aprende junto, aperfeiçoa, cresce, está junto, coordenando, orientando, mostrando pistas, caminhos. Para que ele possa fazer isso é preciso que antes esteja disposto a formar-se, a orientar-se, a ler, estudar, preparar-se a fim de que esteja em comunhão perfeita com o Evangelho e com os ensinamentos da igreja. O Catequista não é mais uma criança ou adolescente ou mesmo uma pessoa adulta que esteja recém-iniciada na fé cristã. É sim, uma pessoa amadurecida na experiência, comprometida com a transmissão fiel daquilo que crê e vive. É uma pessoa de vivência sacramental, assídua a celebração dominical, um verdadeiro agente de pastoral. São Catequistas aqueles que trabalham na pastoral do Batismo, da Confirmação, da Eucaristia e do Matrimonio. São catequistas que ajudam diretamente na formação eclesiástica de futuros sacerdotes e religiosos”.

Por este texto é possível mensurar a importância que se reveste o(a) Catequista na vida da Igreja. O Papa Francisco no Simpósio Internacional sobre catequese em 2017 proferiu a seguinte mensagem:

“Ser catequista não é uma profissão, mas uma vocação: é o que afirma o Papa Francisco na mensagem enviada aos participantes do Simpósio Internacional sobre Catequese, No texto, o Pontífice cita um diálogo de São Francisco de Assis com um de seus seguidores, que queria aprender a pregar. O santo lhe diz: Quando visitamos os enfermos, ajudamos as crianças e damos de comer aos pobres já estamos pregando. “Nesta lição, está contida a vocação e a tarefa do catequista”, escreve o Papa. Em primeiro lugar, a catequese não é um trabalho ou uma tarefa externa à pessoa do catequista, mas se “é” catequista e toda a vida gira em torno desta missão. De fato, “ser” catequista é uma vocação de serviço na Igreja, que se recebeu como dom do Senhor para ser transmitido aos demais. Por isso, o catequista deve constantemente regressar àquele primeiro anúncio ou “kerygma”, que é o dom que transformou a própria vida. Para Francisco, este anúncio deve acompanhar a fé que já está presente na religiosidade do povo. O catequista, acrescentou o Papa, caminha a partir de Cristo e com Ele, não é uma pessoa que parte de suas próprias ideias e gostos, mas se deixa olhar por Ele, porque é este olhar que faz arder o coração.

O site ACI Digital informou que a Comissão Episcopal Pastoral para a Animação Bíblico-Catequética da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou uma mensagem aos catequistas do país, em 2018 por ocasião do seu dia que expressam a gratidão pelo trabalho evangelizador dessas pessoas.

“Seu sim ajudou a Igreja a ser Evangelizadora; a ser mais Igreja”, expressa a mensagem aos catequistas, assinada pelo Arcebispo de Curitiba (PR) e presidente da Comissão, Dom José Antônio Peruzzo.

Em nome da CNBB, o Prelado afirma que se serve da comemoração do Dia do Catequista “para uma palavra permeada de sincero afeto e imensa gratidão. Embora não seja possível ser suficientemente grato a tanta dedicação, com muita simplicidade, apresento-me para uma reflexão agradecida”.

Dom Peruzzo, então, convida cada catequista a recordar uma “experiência pessoas muito singular”, quando recebeu “o convite a tornar-se Catequista”.

Fica um convite também para um Mega Encontro que será realizado em Aparecida no dias 7 a 9 de fevereiro de 2020 pela Catequistas Brasil. Neste encontro são oferecidos modelos avançados de formação para que o catequista encontre inspiração, motivação e técnicas para ampliar suas competências no ministério da catequese e na missão de formar novos discípulos missionários de Jesus Cristo. Em 2019 teve a primeira edição e pelos relatos veio para ficar e cumprir o seu papel de colaborar com a igreja.

Finalizando em nome de toda a paróquia, de todos os pais, queremos agradecer imensamente ao lindo trabalho de catequese que tem sido realizado em nossa paróquia. À todos aqueles que já fizeram este trabalho no passado e a todos aqueles que fazem atualmente o trabalho de catequese de nossas crianças, de nossos jovens e de nossos adultos.

Gostaríamos de nominar cada um. Porém, poderíamos cometer algum erro ou esquecimento e preferimos não fazê-lo. Mas cada Catequista, cada Auxiliar, cada Pai ou Mãe que de alguma forma tem ajudado a Pastoral Catequética, sinta-se agraciado e sinta-se abraçado por toda a nossa Comunidade.

Louvado seja sempre o nosso Senhor Jesus Cristo.

Fiquem em Deus sempre.

Jair Ortega – Pascom.


Compartilhe: