Natividade de Nossa Senhora

Dia em que Maria anuncia a Alegria e a aproximação da Salvação do Mundo. Dia em que comemoramos ainda a mãe do Deus humanado. Estas são formas que lemos em diversos artigos que retratam a Natividade de Nossa Senhora. Maria nasceu do ventre de sua mãe Ana sem o pecado original para poder gerar o Criador em forma humana. O ventre de Maria foi construído com sete colunas, que são os dons do Espírito Santo. E com certeza desde a concepção foi preparada para ser uma pessoal especial.

Uma entre todas foi a escolhida. Há inclusive uma antiga tradição que diz que os pais de Maria, Joaquim e Ana, não podiam ter filhos, até que em meio às lágrimas, penitências e orações, alcançaram esta graça de Deus. Ela veio ao mundo de forma diferente de todos os demais humanos, não isenta da graça santificante e não sujeita ao pecado, mas, pura, bela, formosa e gloriosa, adornada das graças mais preciosas que convinha Àquela escolhida para ser a Mãe do Salvador.

Ela é a Nova Eva, que veio para desatar o nó da desobediência de Eva, e esmagar a cabeça de Satanás. O nascimento de Maria Santíssima traz ao mundo o anuncio jubiloso de uma boa nova: a mãe do Salvador já está entre nós. Ele é o alvorecer prenunciativo de nossa salvação, o início histórico da obra da Redenção. Nessa festa o mundo católico admira Nossa Senhora como sendo Ela a aurora que anuncia o Sol de justiça que dissipa as trevas do pecado. Nela, a Igreja convida a “contemplarmos uma menina como todas as outras, e que ao mesmo tempo é única, pois, Ela é a “bendita entre todas as mulheres” (Lc 1, 42), a Imaculada “filha de Sião”, destinada a tornar-se a Mãe do Messias”. (São João Paulo II, Audiência de 8/9/2004).

Assim se exprimiu o Padre Antônio Vieira sobre essa celebração:  “Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? Vede o para que nasceu. Nasceu para que d’Ela nascesse Deus. (…) Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dir-vos-ão que nasce para Senhora da Saúde; perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança.

Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os cercados, para Senhora da Vitória. Dirão os pleiteantes que nasce para Senhora do Bom Despacho; os navegantes, para Senhora da Boa Viagem; os temerosos da sua fortuna, para Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para Senhora da Graça; e todos os seus devotos, para Senhora da Glória. E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus” (Sermão do Nascimento da Mãe de Deus).”

Ao celebrar a festa do nascimento da virgem Maria, também queremos nos reportar este ano em que nós brasileiros temos a graça de celebrarmos os 300 anos do encontro da Imagem de Nossa Senhora Aparecida, junto as margens do Rio Paraíba do sul.

Neste momento nasce uma devoção própria em nosso país. Queremos neste dia, confiar a nossa vida Aquela que em tudo fez a vontade de Deus. Sem dúvida, para nós como para todos os patriarcas do Antigo Testamento, o nascimento da Mãe, é razão de júbilo, pois Ela apareceu no mundo: a Aurora que precedeu o Sol da Justiça e Redentor da Humanidade. Viva Santa Mãe de Deus, Imaculada, sempre Virgem, Assunta ao Céu! Hoje tem festa de Aniversário Dela na Terra e no Céu!

Nossa Senhora, rogai por nós!

Fonte: Canção Nova / Cleofas / CNBB / Pe. Paulo Ricardo
Por Jair Ortega

Compartilhe: