SANTA ROSA DE LIMA, PRIMEIRA SANTA DA AMÉRICA DO SUL

Irmãos em Cristo,

ao pesquisar em diversos sites e documentos a vida de Santa Rosa de Lima, pude ver a beleza da vida, a beleza da santa e o cheiro da Rosa. Que você também possa senti-lo. Resolvi também deixar no relato um pouco do Santuário dedicado à Santa Rosa de Lima.

Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo e na caridade para com todos

Para todos nós, hoje, 23/08, é dia de grande alegria, pois podemos celebrar a memória da primeira santa da América do Sul, Padroeira do Peru, das Ilhas Filipinas e de toda a América Latina. Santa Rosa nasceu em Lima (Peru) em 1586; filha de pais espanhóis, chamava-se Isabel Flores, até ser apelidada de Rosa por uma empregada índia que a admirava, dizendo-lhe: “Você é bonita como uma rosa!”.

Rosa bem sabia dos elogios que a envaideciam, por isso buscava ser cada vez mais penitente e obedecer em tudo aos pais, desta forma, crescia na humildade e na intimidade com o amado Jesus. Quando o pai perdeu toda a fortuna, Rosa não se perturbou ao ter que trabalhar de doméstica, pois tinha esta certeza: “Se os homens soubessem o que é viver em graça, não se assustariam com nenhum sofrimento e padeceriam de bom grado qualquer pena, porque a graça é fruto da paciência”.

A mudança oficial do nome de Isabel para Rosa ocorreu quando ela tomou o hábito da Ordem Terceira Dominicana, da mesma família de sua santa e modelo de devoção: Santa Catarina de Sena e, a partir desta consagração, passou a chamar-se Rosa de Santa Maria. Devido à ausência de convento no local em que vivia, Santa Rosa de Lima renunciou às inúmeras propostas de casamento e de vida fácil: “O prazer e a felicidade de que o mundo pode me oferecer são simplesmente uma sombra em comparação ao que sinto”.

Começou a viver a vida religiosa no fundo do quintal dos pais e, assim, na oração, penitência, caridade para com todos, principalmente índios e negros, Santa Rosa de Lima cresceu na união com Cristo, tanto quanto no sofrimento, por isso, tempos antes de morrer, aos 31 anos (1617), exclamou: “Senhor, fazei-me sofrer, contanto que aumenteis meu amor para convosco”.

Foi canonizada em 12 de abril de 1671 pelo Papa Clemente X.

Santuário de Santa Rosa de Lima, padroeira da América Latina

Lima, capital do Peru, é uma típica cidade latino-americana, marcada pelas desigualdades sociais intensas, pelo tráfego barulhento dos automóveis e pela incessante movimentação de seus habitantes, uma mistura étnica entre espanhóis e indígenas, que resultou num povo ardoroso, valente, alegre e extremamente religioso.

Grandes sítios arqueológicos dividem espaços com casas e ruas. Há cheiros intensos de comidas típicas no ar e do mar, trazido pelo vento, a brisa refresca um pouco a sensação de rudeza do ambiente.

O céu de Lima é acinzentado. Pouco chove por lá, e o clima desértico causa estranheza aos visitantes estrangeiros. Mas a falta de chuva não impede que o solo produza alimento e beleza. O chão de Lima é extremamente fértil e muitas são as fontes e cisternas de água pela cidade afora.

Por isso há flores em todo lugar, de cores intensas, vibrantes! Mas a mais bela flor de Lima desabrochou séculos atrás, e seu olor espiritual ainda hoje perfuma não só a cidade de Lima e o povo peruano, mas toda a América Latina dele tira grande proveito espiritual. Esta flor singela e divina é Rosa de Lima, santa amada pelo povo.

No coração da cidade de Lima, na parte mais antiga da cidade, está a Basílica a ela dedicada, fundada em 1670. Simples como foi Rosa de Lima. E muito movimentada. Por ali, centenas de pessoas passam todos os dias, para rezar, acender uma vela, lançar um pedido na velha cisterna, onde Rosa se escondia ou simplesmente para ter um pouco de silêncio durante a correria do dia.

A cor vermelha do Santuário nos recordam as rosas! Ali tudo é muito espiritual e popular! Defronte a Igreja, um jardim de rosas marca o local da casa onde Rosa de Lima nasceu em 1586. No centro, uma imagem da primeira santa latino-americana enfeita ainda mais o florido jardim.

Uma réplica do eremitério, pequena casa de barro, feito por Rosa com a ajuda do irmão, onde ela se escondia para rezar, também pode ser visitado. E, é claro, o famoso poço, onde todo visitante faz questão de fazer um pedido especial. Detalhes estão em todos os cantos, como o pequeno relicário com resto do tronco de uma laranjeira, que segundo a tradição, foi onde Rosa enroscou seus cabelos para poder fugir da tentação que a incomodava!

No interior do Santuário, ornado com belíssimas peças da arte sacra peruana, do século XVII e XVIII, podemos rezar diante do altar, sob o qual estão sepultados os restos mortais de Santa Rosa de Lima. Hoje, o cuidado pastoral dessa igreja está sob a responsabilidade dos Dominicanos.

Não há como conhecer o Santuário de Rosa de Lima e sair dali sem ter experimentado uma profunda paz e comunhão com Deus. Nossa vida recebe, espiritualmente, um leve e suave perfume de rosas, que nos despertam um pouco mais para o amor aos mais necessitados!

Santa Rosa de Lima, rogai por nós!

Fiquem em Deus Sempre!

Jair Ortega – Pascom NSL

FONTES: www.cancaonova.comwww.A12.com


Compartilhe: