Confissão

Penitência ou Confissão

O perdão dos pecados cometidos depois do Batismo é concedido por meio dum sacramento próprio, chamado sacramento da Conversão, da Confissão, da Penitência ou da Reconciliação. Quem peca, ofende a honra de Deus e o seu amor, a sua própria dignidade de homem chamado a ser filho de Deus, e o bem-estar espiritual da Igreja, da qual cada fiel deve ser pedra viva. O sacramento da Penitência é constituído pelo conjunto de três atos realizados pelo penitente e pela absolvição do sacerdote. Os atos do penitente são: o arrependimento, a confissão ou manifestação dos pecados ao sacerdote e o propósito de cumprir a reparação e as obras de reparação. Aquele que quer obter a reconciliação com Deus e com a Igreja deve confessar ao sacerdote todos os pecados graves que ainda não tiver confessado e de que se lembre depois de ter examinado cuidadosamente a sua consciência. A confissão das faltas veniais, sem ser em si necessária é, todavia vivamente recomendada pela Igreja. Só os sacerdotes que receberam da autoridade da Igreja a faculdade de absolver; podem perdoar os pecados em nome de Cristo.

Os efeitos espirituais do sacramento da Penitência são:
– a reconciliação com Deus, pela qual o penitente recupera a graça;
–  a reconciliação com a Igreja;
–  a remissão da pena eterna, em que incorreu pelos pecados mortais;
–  a remissão, ao menos em parte, das penas temporais, conseqüência do pecado;
–  a paz e a serenidade da consciência e a consolação espiritual;
– o acréscimo das forças espirituais para o combate cristão.

O que é a confissão?

É um sacramento instituído por Jesus Cristo para perdoar os pecados cometidos depois do batismo. Conforme escreveu o evangelista João. (Jo 20, 19-23)

Ao anoitecer daquele dia, o primeiro dia da semana, os discípulos estavam reunidos, com as portas fechadas por medos dos judeus. Jesus entrou e pôs-se no meio deles. Disse: “A paz esteja convosco”. Dito isso, mostrou-lhes as mãos e o lado. Os discípulos, então, se alegraram por verem o Senhor. Jesus disse, de novo: “A paz esteja convosco. Como o Pai me enviou também vos envio”. Então, soprou sobre eles e falou: “Recebei o Espírito Santo. A quem perdoardes os pecados, serão perdoados; a quem os retiverdes, ficarão retidos”.

Quem perdoa os nossos pecados?

Só Deus pode perdoar os nossos pecados. O sacerdote, como representante de Jesus, perdoa em nome de Deus, Uno e Trino.

Quem deve se confessar?

Toda pessoa que já recebeu o batismo e caiu em pecado grave (pecado mortal) contra Deus ou contra o próximo. Se a pessoa não pecou gravemente deve confessar ao menos uma vez por ano, os pecados leves (pecados veniais). Quem não é casado no religioso e vive com outra pessoa deve procurar o Padre para aconselhar-se, no horário da confissão mesmo.

Como devo me confessar?

Primeiro é necessário um verdadeiro arrependimento dos atos cometidos. Depois é necessário um exame de consciência para saber o que vai ser dito na confissão. Procurar o Padre e confessar tudo, sem omitir nenhuma falta. Ouvir o conselho do confessor e a penitência que ele recomendar para depois cumpri-la direito. Receber a absolvição dada por Deus através do ministro da sua Igreja.
1ª Observação: Com que roupa devo me confessar? Com a mesma que usaria para ir a uma Missa dominical.
2ª Observação: Ao entrar na confissão faça o sinal da cruz e ao receber a absolvição faça novamente o santo sinal.
3ª Observação: Ao dizer os pecados, fale ao Padre em voz baixa, mas em ordem, sem detalhes inúteis e com precisão. Se você é tímido pode escrever os pecados num papel e ler para o Padre.
4ª Observação: Nunca mencione pecados dos outros e nunca diga o nome de ninguém.
5ª Observação: Nunca entre na confissão querendo contar toda a sua vida. Para isto procure o Padre em outro horário e não na confissão.
6ª Observação: Escute com atenção o que o Padre disser, se precisar ainda assim, de algum conselho, não deixe de pedir. Se não entender alguma coisa que o Padre disse pergunte a ele e nunca saia comentando o que você “acha” que ouviu.
7ª Observação: Sempre após confessar, vá ao Sacrário ou à Capela da Mãe de Deus e faça uma oração de agradecimento pela confissão e aproveite, se for o caso, para cumprir a penitência recomendada pelo Padre.

E quem não se confessa porque não quer?

Fica em pecado grave e em discordância com o ensinamento de Jesus e da Igreja, não pode comungar e se morrer em pecado mortal, não se salva.

Que pecados devo confessar?

Pecados contra Deus: Amei a Deus sobre todas as coisas: bens materiais, pessoas, trabalho, prazeres mundanos, minha própria pessoa? Fui preguiçoso com as coisas de Deus ou em buscar a aprender e crescer na fé? Abandonei a fé católica por outras religiões? Acreditei em superstições, horóscopo, magia, adivinhação, simpatias e coisas deste tipo? Usei o nome de Deus em vão? Desrespeitei as coisas sagradas? Disse coisas ofensivas ou blasfemei contra Deus ou a Religião? Faltei às Missas de domingo sem motivo grave (doença ou acidente, por exemplo)? Faltei com o dever da oração pessoal, pelo menos ao levantar de manhã ou ao deitar à noite e antes de cada refeição? Sei ler e não tenho lido e meditado a Sagrada Escritura com amor e dedicação? Tenho sido agradecido a Deus pelas coisas boas que acontecem em minha vida ou só vejo os problemas e os males? Não tenho confiado em Deus? Não tenho sido bom católico: confessando a cada ano, comungando sempre, procurando os outros sacramentos para mim e para a minha família?

Pecados contra o próximo: Faltei com respeito aos meus pais ou a quem faz a sua função? Faltei com a caridade e respeito com meus superiores, chefes ou coordenadores? Não cumpri com fidelidade meu dever, ou o que me pediram, meus pais ou superiores? Matei? Matei com palavras ou atitudes? Desejei o mal de alguém? Agi impulsionado pelo ódio? Guardei ódio? Fui violento com meu próximo? Cultivei inimizades, virando a cara ou não falando com alguém? Aceitei, incentivei ou cometi aborto? Fui omisso com a sorte do meu próximo? Prejudiquei minha saúde, corporal ou espiritual, com bebidas alcoólicas, cigarro, drogas, farra, gula? Roubei? Pedi emprestado e não devolvi? Fui infiel na administração de bens alheios? Comprei sem poder pagar ou fiz dívidas sabendo que não podia saldá-las? Esbanjei bens, comida ou outras coisas? Não vi a necessidade do meu próximo? Podia ajudar alguém materialmente e me omiti? Agi ou pensei de maneira indecente contra meu próximo? Pequei contra a castidade? Fiz sexo sem responsabilidade fora do casamento? Adulterei? Cobicei a mulher ou homem do meu próximo (a)? Fui invejoso das coisas ou do sucesso do meu próximo? Fiquei triste com a felicidade dos outros? Menti? Difamei? Dei lugar a fofocas e intrigas? Falei mal da vida alheia ou “dei corda” para falarem? Fui irresponsável no meu trabalho? Fui infiel com o Dízimo?

Confissões

As confissões ocorrem na Gruta, Matriz e Capela São José, sempre após as missas.

Compartilhe: